Rumo ao futuro incerto
Eu quero chegar mais perto
Sem queimar o fusível
A minha nave tem asas
E voará por cima das casas
Eu penso ser possível

E não me chamem de maluco
A hora que bater o cuco
Do relógio da parece
Eu ligarei os motores
Deixando o jardim de flores
Levando comigo a sede

De beber de outras águas
Sem poluição e sem magoas
Onde ouvirei o som dos banjos
Dos mais distantes planetas
E o soar de mil cornetas
Na festa celestial dos anjos!

Escrito as 10:12 hrs., de 15/06/2017 por
Nelson Ricardo

Exibições: 5

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas Independentes para adicionar comentários!

Entrar em Poetas Independentes

Este site é gerenciado pelos administradores e mantido por seu membros muito obrigado por sua colaboração !

Ajude a manter o site em funcionamento faça uma doação de qualquer valor

cod banco 001
Ag 3567-X
C\C 385077
Favorecido Marcio Marcelo do Nascimento Sena
CPF 248.914.048-50 .



Ou se preferir torne-se um assinante permanente contribuindo anualmente com o valor de R$15,00

Assine : R$15,00 - Anualmente


Prefiro ser um Assinante Mensal

Obras que indicamos

© 2018   Criado por Marcio Marcelo do Nasc.Sena.   Ativado por

Credencial  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço