Quase um século se indo
E tudo na vida sumindo
Tantas coisas que eu errei
Como um gato estirado no chão
Sobrevivi em cada trovão
Graças a deus nunca despenquei

No despenhadeiro da vida
Sempre procurando uma saída
Nas asas de uma ave de rapina
E foi nessa que um dia cacei
E pra sempre encarcerei
A verdadeira obra prima

Que foi se chegando com calma
E eu desvendei sua alma
Foi o remédio que me curou
Da doença da solidão
E no meu peito brotou paixão
Porque foi o amor que voltou!

Escrito as 15:48 hrs., de 13/04/2017 por
Nelson Ricardo

Exibições: 0

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas Independentes para adicionar comentários!

Entrar em Poetas Independentes

Novidade : Click no botão abaixo...

Este site é gerenciado pelos administradores e mantido por seu membros muito obrigado por sua colaboração !

Ajude a manter o site em funcionamento faça uma doação de qualquer valor
.

Ou se preferir torne-se um assinante permanente contribuindo anualmente com o valor de R$15,00

Assine : R$15,00 - Anualmente

© 2017   Criado por Marcio Marcelo do Nasc.Sena.   Ativado por

Credencial  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço