Ando triste amargurado
Pelo mundo abandonado
Sem um teto pra morar
Vestindo trapos imundos
Protótipo dos vagabundos
Dormindo ao relento do luar

Pelas ruas e praças da vida
Porque sua amada querida
Meteu-lhe um pé na bunda
E colocando na rua da amargura
Porem ele carrega a ternura
E a ama de uma forma profunda

Vive recitando poesias
Ao clamor das utopias
O menestrel rei da rua
Já com idade empoeirada
E ao clarão da madrugada
Se acha o namorado da lua!

Escrito as 17:30 hrs., de 15/06/2017 por
Nelson Ricardo

Exibições: 1

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas Independentes para adicionar comentários!

Entrar em Poetas Independentes

Este site é gerenciado pelos administradores e mantido por seu membros muito obrigado por sua colaboração !

Ajude a manter o site em funcionamento faça uma doação de qualquer valor

cod banco 001
Ag 3567-X
C\C 385077
Favorecido Marcio Marcelo do Nascimento Sena
CPF 248.914.048-50 .



Ou se preferir torne-se um assinante permanente contribuindo anualmente com o valor de R$15,00

Assine : R$15,00 - Anualmente


Prefiro ser um Assinante Mensal

Obras que indicamos

© 2018   Criado por Marcio Marcelo do Nasc.Sena.   Ativado por

Credencial  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço