Então a vida passa
Por isso estou na praça
Aqui num banco sentado
Bem no centro da cidade
Mas quê felicidade!
Recordando o meu passado

Dentro de um litro de pinga
O povo inteiro me xinga
Me chamando de borracho
E o vira lata que late
Vem a polícia e me bate
Eu corro e escapo por baixo

Pra me esconder na latrina
Quando a justiça divina
Me manda pedir perdão
E eu volto pra favela
Sentindo que a vida é bela
E assim escapo da prisão!

Escrito as 09:48 hrs., de 16/05/2017 por
Nelson Ricardo

Exibições: 0

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas Independentes para adicionar comentários!

Entrar em Poetas Independentes

Anuncie seu Livro aqui - Clik na imagem da capa

Novidade : Click no botão abaixo...

Este site é gerenciado pelos administradores e mantido por seu membros muito obrigado por sua colaboração !

Ajude a manter o site em funcionamento faça uma doação de qualquer valor
.

Ou se preferir torne-se um assinante permanente contribuindo anualmente com o valor de R$15,00

Assine : R$15,00 - Anualmente

© 2017   Criado por Marcio Marcelo do Nasc.Sena.   Ativado por

Credencial  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço