Poetas Independentes

Publicando idéias...realizando sonhos !!!


Ai que saudade do meu mundo
Sou boêmio vagabundo
Morador do olho da rua
O fim de semana que chega
Vou dar de mão na minha nega
Pra bailar ao sabor da lua

Sou vinho verde português
Recebo por todo o mês
O meu salário de fome
Queimo tudo na cachaça
De repente o tempo passa
E eu esqueço até do meu nome

Sou um poeta seresteiro
Dos carnavais de fevereiro
Trabalhar não é o meu forte
Mas eu nunca me atrapalho
Na carpeta de baralho
Eu sempre conto com a sorte!

Escrito as 18:33 hrs., de 04/05/2018 por
Nelson Ricardo Ávila

Exibições: 9

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas Independentes para adicionar comentários!

Entrar em Poetas Independentes

Copie e Cole em Seu Blog

Carregando...

Contribua com o site doando qualquer valor

cod banco 001
Ag 3567-X
C\C 385077
Favorecido Marcio Marcelo do Nascimento Sena
CPF 248.914.048-50 .

© 2018   Criado por Marcio Marcelo do Nasc.Sena.   Ativado por

Credencial  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço