Autor
Eurico de Andrade
  • Masculino
  • Brasília
  • Brasil
Compartilhar

Fãs do trabalho de Eurico de Andrade

  • Newton Emediato Filho
  • Neuza Rosa de Siqueira Gonçalves
  • luzia.cvieira
  • Hélio Sena
  • Maria Jeremias dos Santos
  • Elma do Nascimento
  • Antônio de Fátima Silva
  • William Sperb Machado
  • Aline Jacomuni
  • João
  • Lucia Collaço
  • ERICA DE ALMEIDA BRUGUINHÃO
  • artonilson macedo bezerra
  • Terezinha Flores Canabarro
  • Pedro Felix

Grupos de Eurico de Andrade

RSS

Carregando... Carregando feed

Presentes recebidos

Presente

Eurico de Andrade ainda não recebeu nenhum presente

Dar um presente

 

Eurico de Andrade, o contador de causos!

Blog de Eurico de Andrade

Um Conto de Natal

A mulher ia, estrada a fora, no carrão importado. Asfalto novinho e pretinho. Chovia. De repente o estouro e o desequilíbrio do carro que sai catando cascalho da beira do barranco. Bate aqui, bate ali, até que pára, depois de entrar por uma estrada esburacada, de chão.Depois do susto, a mulher chora. Nervosa e trêmula, desce e vai ver o estrago. Um amassado aqui, outro ali, nada muito grave, a não ser o pneu estourado. Olha para baixo, olha para cima da estradinha. Ninguém aparece. Noite… Leia Mais

Postado em 24 dezembro 2008 às 14:58 — 7 Comentários

Por falar em sofrimento

- Como Fofó não tem mais mió. Ôta home bão, sô!

Era assim que a turma chamava Fofó, o companheiro humilde, sério, bom exemplo e pau pra toda obra. Ninguém mais conhecido, estimado e querido por todos os filhos de Tabuí. Mais pelo que não dizia do que pelo vice-versa.

O único defeito de Fofó foi ter casado com a Aniceta, a cabeleireira mais afamada da cidade que – sinal dos novos tempos - ganhava muito mais que o marido. Mas aí é que a porca torcia o rabo. Mulher difícil, arrogante e… Leia Mais

Postado em 14 novembro 2008 às 9:18

As marcas da aparência

Lá em Tabuí tinha um negão brilhoso, azulado e teimoso. Tão teimoso que ficou rico zunhando daqui e zunhando dali, fazendo umas malandragenzinhas e muito dentro do pãodurismo. No começo todo mundo o conhecia por Pitoco do Rolamoça. Depois, na abastança, virou senhor Epitácio da Silva. Ai de quem o chamasse pelo antigo nome. Era cacete na certa.

Mas o senhor Epitácio da Silva não estava satisfeito com a vida de rico só não. Enricara e queria mais. Era ambicioso e orgulhoso. Passou a querer… Leia Mais

Postado em 9 novembro 2008 às 21:34 — 1 Comentário

Dona, cadê minha viola?

O nome dele era Simplício. Simplício da Simplicidade. Homem erado já, beirando os setenta. Pobre, magrelo e banguela, faltando os dentes da frente e só tendo as duas presas para, em forma de grampo, segurar o que entrasse boca adentro.

Simplício era cantador dos melhores. E bom de viola. Nas redondezas ninguém tirava uma folia melhor que ele. Folião de mão cheia fazia dessa sua arte, viola e folia, um meio de vida. Por isso é que vivia como um andarilho, de déu em déu, pr'aqui e pr'ali à… Leia Mais

Postado em 2 novembro 2008 às 23:24

Godô recupera precisão de enforcar o ganso

Godofredo e Cornélia, depois de longa vida em comum, andavam não mais se suportando. Tudo era motivo para brigas, das mais rancorosas, onde ruminavam o passado, passando de cor e salteado toda a lista de desavenças. Certa feita, bem cedinho, pegaram o velho jipe e tocaram pra fazenda. Godofredo fora bom motorista nos velhos tempos, mas, agora, distraia-se com qualquer coisa e se esquecia até de que estava dirigindo. Dona Cornélia é que gritava a fim de colocar o marido no caminho certo para ele… Leia Mais

Postado em 26 outubro 2008 às 21:18 — 8 Comentários

Novos causos

Pessoal!
Coloquei mais dois causos no meu blog e gostaria de contar com a visita de vocês. São "Cada doido com sua sabedoria" e "Esmeraldo em estado interessante". O endereço é http://tabui.blogspot.com/ .
Confiram e grande abraço!

Postado em 20 outubro 2008 às 11:00

Nós sofre, mas nós goza

A jardineira que carregava o povo de Tabuí era desengonçada. E põe desengonçada nisso. Mas o dono da dita cuja, o Vivaldino, homem caprichoso e cheio das invenções, sempre tava arrumando uma melhoria na sua máquina de ganhar a vida. Arruma daqui, arruma dali, a coisa foi melhorando. O máximo mesmo foi quando ele inventou de colocar uma porta na traseira da dita cuja e uma catraca com o cobrador no meio do corredor. Povo de Tabuí ficou tão orgulhoso da sua empresa de transporte que nunca mais a… Leia Mais

Postado em 13 outubro 2008 às 21:14

Quer ler uns causos?

Coloquei dois novos causos no meu blog e gostaria de convidá-los para me fazerem uma visita. O endereço é http://tabui.blogspot.com/ .
Quem for ao Superdicasss (http://superdicasss.blogspot.com/) vai encontrar uma matéria sobre o meu trabalho de garimpador de causos escrita pela Jaqueline Amorim.
A mesma matéria pode ser lida também no site Lima Coelho (http://www.limacoelho.jor.br/vitrine/ler.php?id=2006 ) .

Postado em 6 outubro 2008 às 22:59

O fantasma da sogra Mariana

Caiu lá na cozinha a sogra da Amélia. A velha se estrebucha toda, geme e se mija. Só as duas em casa. Amélia parte para o desespero, sem prática para a desagradável situação.

- Meudeusdocéu! Oquecofaço?

Mexe daqui, vira dali, Amélia desconfia que a velha morreu. Medo provoca tremeliques naquele corpo acostumado à brabeza da vida. Resolve chamar alguém naquilo que é arremedo de hospital em Tabuí. Meia hora depois, chega a enfermeira, quase alfabetizada. Olha, apalpa, escuta, desaperta… Leia Mais

Postado em 27 setembro 2008 às 21:56 — 2 Comentários

Bembem padece de amor

O Raimundo barbeiro estava quase indo à falência. A machaiada de Tabuí fizera da sua barbearia ponto de encontro predileto, onde se ficava sabendo de tudo. Quem tava ficando rico ou pobre, quem gostava de quem, quem apanhou de quem, quem tava saindo com quem... E o Raimundo brabo com a falta da freguesia que refugava de tanto falatório. Freguês que se aventurasse ali, mal saia, a ficha tava completa e era assunto por uma semana. Até que um dia o barbeiro resolve espantar o azar. Zequinha… Leia Mais

Postado em 21 setembro 2008 às 16:47 — 6 Comentários

Caixa de Recados (70 comentários)

Você precisa ser um membro de Poetas Independentes para adicionar comentários!

Entrar em Poetas Independentes

Às 10:53 em 22 julho 2009, Luzia Nunes disse...
Ah! Obrigada pelo carinho.
Às 10:47 em 22 julho 2009, Luzia Nunes disse...
Ainda não tive coragem, tenho alguma coisa pronta, logo colocarei.
E você? A cada dia nos surpreende mais ,com seus causos maravilhosos. Abraços.
Às 20:52 em 3 maio 2009,
Autor
Vera Vasconcelos
disse...
Ainda estou descobrindo este site. Li alguns contos estou adorando.
Estes teus são otimos.
Às 16:23 em 15 fevereiro 2009,
Autor
EstherRogessi
disse...
Bom final de tarde, Eurico, Muita paz!
Às 21:23 em 2 janeiro 2009, maria isabel coelho de araujo disse...
Obrigado pela presença,estive lendo sua leitura muito bom.
Às 18:18 em 27 dezembro 2008,
Autor
Regina Vieira
disse...
Feliz Natal e Próspero Ano Novo!
Obrigada por se incluir na minha rede de amigos!
Às 13:42 em 20 dezembro 2008,
Autor
Terezinha Flores Canabarro
disse...
Caro Amigo Eurico...

Vim ler teus textos, e te digo que gosto muito, não venho mais a miúde porque meu tempo é pouco...mas com certeza passarei de quando em vez para ver as novidades! Um grande abraço!
Às 21:51 em 19 dezembro 2008,
Autor
Lúcia Helena de Almeida Pereira
disse...
Desejo a você e sua família um natal de muita paz e luz, e um abençoado 2009. Bjs.
Às 16:49 em 19 dezembro 2008,
Autor
Regina Vieira
disse...
Oi, gostaria de contactar alguém de Brasília.
 
 
 

Este site é gerenciado pelos administradores e mantido por seu membros muito obrigado por sua colaboração !

Ajude a manter o site em funcionamento faça uma doação de qualquer valor

cod banco 001
Ag 3567-X
C\C 385077
Favorecido Marcio Marcelo do Nascimento Sena
CPF 248.914.048-50 .



Ou se preferir torne-se um assinante permanente contribuindo anualmente com o valor de R$15,00

Assine : R$15,00 - Anualmente


Prefiro ser um Assinante Mensal

Obras que indicamos

© 2018   Criado por Marcio Marcelo do Nasc.Sena.   Ativado por

Credencial  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço